08 dezembro 2014

Cosméticos: O que há por traz das fórmulas

[caption id="attachment_303" align="aligncenter" width="660"]Vamos ficar sempre atentas nas fórmulas dos cosméticos que iremos usar. Vamos ficar sempre atentas nas fórmulas dos cosméticos que iremos usar.[/caption]

Divas, num post anterior eu falei que não usava mais produtos que continha Óleo mineral na fórmula e a partir do momento que deixei de usar esses produtos em especial meus cabelos se tornaram outros, e disse ainda que voltaria aqui e explicaria pq cheguei nessa conclusão. Eu sou o tipo de pessoa que ama sempre pesquisar e me informar sobre praticamente tudo, e chegou um dia que parei e pensei: ''Cosméticos de forma geral são produtos que tem em sua composição uma infinidade de princípios ativos, será que existem algum ingrediente que ao invés de fazer bem para nossa pele, cabelo e afins, não acaba fazendo o efeito contrário? Ou até msm fazendo mal para nossa saúde? Afinal tudo que é absorvido pelo nosso corpo atinge diretamente a saúde.'' E aí parti pra minha pesquisa e não é que meu pensamento estava certo? Realmente há inúmero componentes nesses produtos que ao invés de bem trazem muitos malefícios.

Os principais vilões são: formaldeído, parabeno, silicone, triclosan, alumínio, alquilfenol, polietilenoglicol (PEG) e óleo mineral.

Formaldeído

Onde é encontrado: germicidas e fungicidas agrícolas e formulações cosméticas
Nomes Técnicos: formol, formalina, aldeído fórmico e oximetileno.
Empregado como: conservante, anti-séptico, antiperspirante, desodorizante e endurecedor da unha.

Segundo os pesquisadores:
- A exposição a altas concentrações revelou-se irritante para pele, olhos e o sistema respiratório¹. Também é um alergênico em potencial. Em concentrações baixas, através de exposição doméstica, há risco de comprometimento respiratório por modo não específico, exatamente como encontrado para outros poluentes comuns².
- Estudo sugere que a exposição doméstica do formaldeído aumenta o risco de asma brônquica na infância³ e aumenta o risco de sensibilização alérgica para alergenicos comuns do ar 4.
- É mutagênico, e quando inalado em altas concentrações é carcinogênico em ratos 5. Alguns pesquisadores o classificam como provável carcinogênico em humanos. 6
- Em recente reavaliação do IARC (International Agency for Research on Cancer) de setembro de 2004, a substância formaldeído foi classificada comprovadamente como carcinogênica para humanos. 32

Parabenos

Onde é encontrado: na maioria das formulações cosméticas como cremes, loções, desodorantes, além de alimentos e fórmulas de uso interno, como patê de fígado, e outros embutidos cremosos.
Nomes técnicos: Alquil parahidroxibenzoato e metil/etil/butil/isobutil parabeno
Nomes comerciais: Nipagin (Metil parabeno) e Nipazol (propilparabeno)
Empregado como: conservante
Segundo os pesquisadores:
- Os parabenos possuem grande afinidade pelos receptores de estrógeno e comprovada  atividade estrogênica 7; ou seja, são mimetizadores do estrogênio e podem causar câncer de mama e puberdade precoce, ao lado de fenômenos como trombose e embolia. Outro estudo demonstrou que os parabenos podem ser encontrados como moléculas intactas nas glândulas mamárias de homens e mulheres 8
- Os parabenos e outros antimicrobianos que contém porção fenólica possuem propriedades antiandrogênicas e necessitam maiores estudos sobre o impacto na saúde reprodutiva humana 9.
- Estudo sugere que o parabeno encontrado em formulações dermatológicas se acumula no estrato córneo e pode influenciar na idade e diferenciação de queratinócitos 10 , isto é, promove o envelhecimento cutâneo.
- Podem causar dermatite de contato e sensibilidade por mecanismo desconhecido11.
- Potencializa a radiação UV, causando efeitos prejudiciais à pele quando exposta a luz solar 12.

Silicone

Empregado como: promotor de espalhamento, suavidade e substantividade. Reduz a sensação pegajosa, estabiliza a espuma e melhora a absorção.
Nomes Técnicos:  Ciclometicone e Dimeticone
Onde é encontrado: cremes, loções, protetor solar, maquiagem, antiperspirante, desodorante, shampoos e condicionadores.
Segundo os pesquisadores:
- Discute-se o potencial papel do silicone na doença de Alzheimer 13.

Triclosan

Empregado como: antisséptico e bacteriostático
Nomes Técnicos: cloxifenol, 2,4,4 – trichloro-2-hydroxy-diphenyl-ether, 5-chloro-2-(2,4-dichlorophenoxy)phenol
Onde é encontrado: desodorantes líquidos ou em barra, sabonetes líquidos, sabonetes antissépticos, produtos para banho, emulsões, shampoos, produtos para barbear, pastas de dente, entre outros
Segundo os pesquisadores:
- Mulheres em fase de amamentação não podem utilizar cosméticos contendo triclosan porque tal substância passa para o leite materno 14.
- O triclosan pode sofrer degradação pela luz solar formando uma substância cancerígena chamada diclorodibenzeno-p-dioxina 15.

Alumínio

Empregado como: adstringente e antiperspirante
Nomes Técnicos: cloreto de alumínio, tricloreto de alumínio
Onde é Encontrado: desodorantes e antiperspirantes
Segundo os Pesquisadores:
- O alumínio é um metal com número variável de elétrons na última camada e portanto é um gerador de radicais livres. Os radicais livres provocam o envelhecimento acelerado da pele provocando o aparecimento precoce de rugas. A intoxicação crônica por alumínio provoca anemia de difícil tratamento16. Alguns pesquisadores implicam o alumínio na doença de Alzheimer.
- Em ratos verificou-se que a intoxicação crônica por alumínio diminui a absorção de cálcio pelos rins 17. Nos seres humanos o uso contínuo do alumínio nos cosméticos possivelmente prejudique o tratamento da osteopenia e osteoporose na mulher.

Alquilfenol

Empregado como: tensoativo
Nome técnico: nonylphenol e octylphenol
Onde é Encontrado: shampoo, tintura de cabelo, creme de barbear e produtos de limpeza doméstica.
Segundo os pesquisadores:
- O alquilfenol é um disruptor endócrino que possui muitos efeitos adversos para a saúde humana. Possui efeitos estrogênicos mesmo em baixas concentrações20-23 e portanto pode desencadear doença fibrocística de mama, fibroadenoma de mama ou aumentar o risco de câncer de mama.
- Provoca aumento de produção de interleucina 4 e citocinas pró-inflamatórias de uma maneira dose dependente e assim aumenta a resposta alérgica e inflamatória. 18
- Elevada toxicidade para peixes, moluscos e crustáceos19
- Reduz a mobilidade dos espermatozóides, fecundidade e fertilidade em peixes.21
- Possui efeitos tóxicos sobre a reprodução e desenvolvimento em animais de experimentação.22
- Efeito embriotoxico em crustáceos dos produtos de metabolização dos alquifenois mesmo em baixas concentrações.24
- Na Europa está em andamento a regulamentação para diminuir o seu uso visando minimizar o impacto ambiental devido a sua toxicidade, ação estrogênica e ser substância altamente lipofílica, o que facilita a sua entrada na célula, aumentando ainda mais a sua ação prejudicial.23

PEG e seus derivados

Empregado como: emulsionantes, veículos, agente de consistência, fixadores de perfume, antiestáticos, solubilizante e umectante.
Nome Técnico: polietilenoglicol e polisorbato
Onde é encontrado: óleos de banho, cremes, loções, maquiagem, creme dental, shampoo, desodorante, sabonete e perfumes.
Segundo os pesquisadores:
- Trabalho da Dinamarca em 2006 alerta para o perigo de dermatite alérgica de contato com os produtos derivados do PEG utilizados nos cosméticos e no batom.25
- A presença de PEG na cera de depilação provocou uma verdadeira epidemia de dermatite de contato alérgica na França e na Bélgica em 2006.26
- Em congresso especializado concluiu-se que o uso do PEG-metacrilato deve ser restrito às unhas e nunca deve entrar em contato com a pele devido a dermatite de contato que geralmente provoca.27
- Outros trabalhos mostram que o PEG é relativamente seguro e minimamente irritativo nas peles normais. 28-29
- Dependendo do fabricante o PEG pode estar contaminado com diversos tipos de impurezas, incluindo: óxido de etileno,compostos aromáticos, dioxano e metais tóxicos como arsênico, cádmio, níquel e cobalto30

Óleo Mineral

O óleo mineral – um derivado do petróleo assim como a parafina – é muito conhecido e largamente utilizado no mercado dos cosméticos por possuir propriedades emolientes, lubrificantes e principalmente por ser um ingrediente extremamente barato. Ele está presente, principalmente, em produtos para o cabelo, hidratantes corporais/faciais e não raro, em sombras, batons, blushes e bases. Apesar de ainda ser utilizado em larga escala, o óleo mineral traz inúmeros malefícios para o nosso corpo e principalmente para a nossa pele. Para começar, ele não possui qualquer valor nutritivo, não é absorvido pela pele e também não promove hidratação de fato: apenas lubrifica a derme superficialmente, evita a perda de água e dá a falsa sensação de hidratação, mais nada. Por ser inerte e não se dissolver em água ou álcool, o óleo mineral acumula na pele e nos cabelos. A médio e longo prazo, esse acúmulo faz o rosto perder o viço, os cabelos ficarem pesados, sem balanço e dificulta a absorção de outras substâncias. Além disso, o óleo mineral tem ação comedogênica (entope os poros), portanto favorece o aparecimento de cravos, espinhas, impede os mecanismos de hidratação natural da pele e pode colaborar para o envelhecimento precoce. Como se não bastasse, o óleo mineral ainda pode causar alergia em muitas pessoas, principalmente em produtos para os olhos. Segundo o site EWG’s Skin Deep, há evidencias limitadas sobre o óleo mineral causar câncer em cosméticos em aerossol e alguns artigos confiáveis (como esse) já enfatizam os perigos do mesmo nas vias aéreas em outras situações. Portanto, mesmo que não tenhamos provas concretas sobre o potencial cancerígeno desse composto, devemos ter bastante cuidado. Há, ainda, artigos que falam sobre o óleo mineral causar fotossensibilidade na pele (isto é, aumentar os danos das radiações solares) Para saber se os produtos que você usa (ou vai comprar) contém óleo mineral, basta olhar nos ingredientes e procurar por algum desses nomes: “Paraffinum Liquidum”, “Mineral Oil”,”Liquid Paraffin”, “Paraffin Oil”, “Deobase”

Empregado como: emoliente e lubrificante
Nome Técnico: mistura de hidrocarbonetos parafinemos e naftalênicos. È a vaselina, parafina ou petrolato.
Onde é Encontrado: produtos cosméticos e filtros solares
Segundo os Pesquisadores:
- Estudo demonstra que o óleo mineral contido em formulações cosméticas pode induzir a artrite. 31
Conclusão
No mundo moderno em que vivemos estamos expostos aos mais diversos tipos de contaminantes prejudiciais a nossa saúde. Muitos deles são difíceis, ou simplesmente não podemos evitar.
Com esse artigo, não estamos propondo que as pessoas deixem de consumir cosméticos, que são tão importantes para o bem estar pessoal e para a saúde psicológica. Mas devemos nos precaver que certos cosméticos possuem xenobióticos prejudiciais a saúde, e procurar sempre ler o rótulo do cosmético para certificar-se que não possuem parabenos, óleo mineral, PEG, alquilfenol, alumínio, triclosan, silicone e formaldeído.
Atualmente dispomos de uma nova categoria de cosméticos, os chamados cosméticos orgânicos, que seguem uma filosofia onde se leva em conta fatores sócio-ambientais e sustentabilidade, além de serem isentos de todas as substâncias químicas maléficas à saúde citadas nesse artigo. Esses cosméticos são tão eficientes quanto os cosméticos tradicionais, sendo que as vantagens oferecidas são infinitamente maiores porque não produzem doenças.
Portando meninas vamos ficar atentas as formulações dos cosméticos que usamos afinal devemos ter o pensamento de que beleza e saúde devem andar lado a lado. E mais ainda, como vimos mtas vezes esses princípios ativos que deviam auxiliar na beleza são é grandes vilões que fazem o efeito contrário do que prometem, não sejamos mais enganadas pelas industrias cosméticas! Façamos acontecer divas, beijinhos.

[caption id="attachment_304" align="aligncenter" width="425"]Cosméticos do bem, abrace essa idéia. Cosméticos do bem, abrace essa idéia.[/caption]

[caption id="attachment_305" align="aligncenter" width="481"]Natura merece a minha (sua) admiração. A marca que respeita o consumidor. Natura, uma ótima alternativa pra quem quer cosméticos do bem.[/caption]

Fontes: [http://ahau.org/o-perigo-dos-cosmeticos-saiba-como-escolher/]


[http://lookaholic.wordpress.com/2012/06/20/por-que-evitar-o-oleo-mineral-em-cosmeticos/]


By: Nathalia Gabriela.


Beijokas!



Nenhum comentário:

Postar um comentário